FANDOM



A MÁGOA SECRETA DE HARRY POTTER foi um artigo publicado na revista Semanário das Bruxas em 1995. A peça, escrita por Rita Skeeter, afirmava que Hermione Granger era a namorada de Harry Potter e que ela estava brincando com ele procurando as afeições de Vítor Krum, que estava muito apaixonado por ela. Como muitos dos escritos de Skeeter, embora a essência do artigo fosse falsa, havia um pouquinho de verdade que conferia ao artigo um ar de credibilidade para aqueles que não conheciam melhor.

Visão geral Editar

Harry não era o namorado de Hermione, os dois tinham sido amigos próximos desde o começo do primeiro ano em Hogwarts. Além disso, Hermione havia dançado com Krum no Baile de Inverno no início do ano letivo e Krum a convidou para visitá-lo durante o verão, fato que Skeeter só foi capaz de aprender porque ela estava escutando via besouro como um animago não registrado. O artigo também sugeriu que Hermione poderia estar preparando poções de amor, algo que ela provavelmente era capaz de fazer, mas nunca faria.[1]

O artigo foi, em essência, a vingança de Skeeter para a união de Hermione contra ela depois da publicação de um artigo anterior de Skeeter sobre Rúbeo Hagrid sendo um meio-gigante. O artigo foi trazido pela primeira vez à atenção do Trio por Pansy Parkinson]], que estava rindo sobre isso com um grupo de amigos antes do início de uma das aulas de Poções de Severo Snape. No começo, Hermione não se incomodou muito com o artigo, descrevendo-o como "uma pilha de lixo", mas ficou incomodada com o fato de que Rita Skeeter sabia de alguns detalhes que ela não deveria ter como saber. Quando Severo Snape, no entanto, pegou ela e os outros discutindo o artigo, ele primeiro ancorou pontos da Grifinória e então começou a ler o artigo em voz alta ao descobrir a revista.[1]

Para Hermione, o artigo foi fácil de se livrar no começo, apesar da afirmação de Ron de que isso a fazia parecer "uma espécie de... Jezabel". Ele rapidamente se tornou menos, no entanto. As pessoas começaram a citá-la regularmente e ela começou a receber cartas de ódio regulares, que incluíam uma carta cheia de pus de bubotúbera e foi jogada fora em massa, embora nada pudesse ser feito sobre os berradores, que gritavam insultos para todos no Salão Principal ouvir.[2]

Transcrição Editar

Um garoto excepcional, talvez – mas um garoto que sofre todas as dores comuns da adolescência, escreve Rita Skeeter. Privado do amor desde o trágico falecimento dos pais, Harry Potter, catorze anos, pensou que tinha achado consolo com sua namorada firme em Hogwarts, a garota nascida trouxa, Hermione Granger. Mal sabia que em breve estaria sofrendo mais um revés emocional numa vida afligida por perdas pessoais.

A Srta. Granger, uma garota sem atrativos mas ambiciosa, parece ter uma queda por bruxos famosos que somente Harry não basta para satisfazer. Desde que Vítor Krum, o apanhador búlgaro e herói da última Copa Mundial de Quadribol, chegou em Hogwarts a Srta. Granger tem brincado com as afeições dos dois rapazes. Krum, que está visivelmente apaixonado pela dissimulada Srta. Granger, já a convidou para visitá-lo na Bulgária nas férias de verão e insiste que "nunca se sentiu assim com nenhuma outra garota".

Contudo, talvez não tenham sido os duvidosos encantos naturais da Srta. Granger que conquistaram o interesse desses pobres rapazes.

"Ela é realmente feia," diz Pansy Parkinson, uma estudante bonita e viva do quarto ano, "mas é bem capaz de preparar uma Poção do Amor, tem bastante inteligência para isso. Acho que foi isso que ela fez."

As poções do amor são naturalmente proibidas em Hogwarts, e sem dúvida Alvo Dumbledore irá querer apurar essas afirmações. Entrementes, os simpatizantes de Harry Potter fazem votos que, da próxima vez, ele entregue seu coração a uma candidata que o mereça.[1]

Por trás das cenas Editar

Aparições Editar

Notas e referências Editar

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 Harry Potter e o Cálice de Fogo, Capítulo 27
  2. Harry Potter e o Cálice de Fogo, Capítulo 28
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.