FANDOM


"Temos o compromisso de honra de prestar serviços ao atual diretor de Hogwarts! Que vergonha, Fineus!"
—O retrato de Dippet dá uma bronca em Fineus Nigellus Black.[fnt]

O Professor Armando Dippet (Outubro, 16371992) foi o diretor da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, e o antecessor de Alvo Dumbledore no posto. Ele era "um bruxo mirrado e frágil, careca, exceto por alguns fiapos de cabelos brancos" quando velho.

Dippet foi diretor nos anos 1940. Foi durante sua administração que a Câmara Secreta foi aberta por Tom Riddle desde sua criação por Salazar Slytherin mil anos antes. Sem saber, Dippet foi indiretamente responsável pelo fim dos ataques ao dizer a Riddle que a escola teria que ser fechada se tais ataques continuassem. Dippet também foi o responsável pela expulsão de Rúbeo Hagrid depois de Riddle o culpar pelos ataques.

Após sua aposentadoria, Dippet foi acusado pelo incidente com o Ford Anglia voador em 1992 por Leonora Gore e Daphne Maubyslin. Ele morreu antes de dezembro daquele ano e, desde então, seu retrato foi pendurado na sala do diretor. Ele aparece numa figurinha dos Sapos de Chocolate.

Biografia Editar

Vida pregressa Editar

Armando Dippet nasceu em outubro de 1637.[2] Em algum ponto antes de sua educação mágica, ele comprou ou herdou sua varinha.[5]

É possível que ele frequentou a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, sendo selecionado em 1649.

Também é possível que tenha obtido notas de N.O.M. e de N.I.E.M., já que depois ele se tornou Diretor de Hogwarts, provavelmente sucedendo Newton Scamander, um famoso magizoologista.

Como Diretor de Hogwarts Editar

Primeiros anos Editar

Dippet and friends

Dippet falando com alguns de seus funcionários.

O Professor Dippet se tornou o Diretor da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts no início do século XX.[6] Em, sua posição, é provável que ele tenha sido o responsável pela contratação de Horácio Slughorn,[7] Alvo Dumbledore,[4] Herbert Beery,[6] Silvanus Kettleburn[6] e possivelmente Galateia Merrythought[8] como professores de Hogwarts. Sabe-se também que ele era responsável pela contratação de Minerva McGonagall, tendo oferecido a ela "um trabalho no departamento de Transfiguração, sob o comando do chefe de departamento, Alvo Dumbledore".[9]

Ele pode ter sucedido imediatamente Fineus Nigellus Black como diretor, após sua morte em 1925. Nesse caso, Dippet teria mandado os estudantes para casa no começo do ano seguinte e aumentaria a segurança de Hogwarts em resposta à ameaça de Gerardo Grindelwald.[10]

Pantomima de natal Editar

"O espetáculo da noite terminou com uma ala hospitalar lotada"
Alvo Dumbledore[fnt]

Durante o mandato de Dippet como diretor, Herbert Beery, então mestre de Herbologia, propôs uma adaptação da The Fountain of Fair Fortune como um presente de Natal para funcionários e estudantes. O show, no entanto, foi um fiasco: os estudantes que interpretavam Amata e "Cavaleiro Azarado" tinham sido namorado e namorada até uma hora antes do show, quando "Cavaleiro Azarado" a dispensou para "Asha" . Durante a peça, o cinzal ingurgitado, retratando o verme (fornecido pelo imprudente Professor Silvano Kettleburn) explodiu em uma chuva de faíscas quentes e poeira, enchendo o Salão Principal com fumaça e fragmentos do cenário. Enquanto os ovos da cinzal atearam fogo às tábuas do assoalho, "Amata" e "Asha" começaram a duelar ferozmente. O professor Beery foi pego no fogo cruzado e sua cabeça assumiu proporções incomuns. Enquanto a equipe evacuava o Salão Principal, o fogo que grassava ameaçava engolfar o local.[6]

Claro, havia várias pessoas enviadas para a Ala Hospitalar e o Professor Dippet teve que colocar o Professor Kettleburn em um de seus sessenta e dois períodos de observação. Em resposta a este fiasco dramático, o Professor Dippet impôs uma proibição geral de futuras pantomimas, uma tradição ainda é seguida pelos funcionários e estudantes de Hogwarts até hoje.[6]

A abertura da Câmara Secreta Editar

Armando Dippet: "Meu rapaz, você deve entender que seria muito insensato de minha parte permitir que você permaneça no castelo quando terminar o ano letivo. Principalmente à luz da recente tragédia… a morte daquela pobre menininha... Você estará muito mais seguro no seu orfanato. Aliás, o Ministério da Magia está neste momento falando em fechar a escola. Não estamos nem perto de identificar a... hum... fonte de todos esses contratempos…"
Tom Riddle: "Diretor, se a pessoa fosse apanhada, se tudo isso acabasse..."
Armando Dippet: "Que quer dizer? Riddle, você está me dizendo que sabe alguma coisa sobre esses ataques?"
Tom Riddle: "Não, senhor."
— Armando Dippet e Tom Riddle em 13 de junho de 1943.[src]

Dippet foi o Diretor de Hogwarts quando a Câmara Secreta foi aberta por Tom Riddle, durante o ano letivo de 1942 a 1943. Muito afeiçoado a Riddle, Dippet não sabia de sua natureza sinistra.[4]

Naquele ano letivo, muitos alunos foram atacados pelo Basilisco de Salazar Slytherin. Em 13 de junho daquele mesmo ano, uma aluna chamada Murta foi assassinada em um banheiro,[4] durante uma das aberturas da Câmara Secreta por Riddle.[11] Depois de perceber que ninguém tinha visto Murta por algumas horas, o Professor Dippet pediu para a colega da garota, Olívia Hornby para procurar por Murta.[12]

O pai e a mãe trouxas da Murta foram chamados à escola por Dippet, e o Diretor enfrentou a possibilidade de fechar a escola. Dippet também rejeitou o pedido de Tom de ficar na escola nas férias de verão devido a sua situação, mas o daria permissão especial se a escola estivesse mais segura.[4] Não querendo que a escola fechasse, ou possivelmente não querendo voltar para o orfanato, Riddle parou de atacar os alunos com o basilisco da Câmara e culpou Rúbeo Hagrid pelos ataques. Dippet expulsou Hagrid na mesma hora. Sob o pedido de Alvo Dumbledore, Hagrid foi treinado como o guarda-caça e teve permissão de morar na escola.[11]

Pedido de emprego por RiddleEditar

Dumbledore: "O professor Dippet lhe disse que era demasiado jovem aos dezoito anos, mas convidou-o a tornar a se candidatar dali a alguns anos, se ainda quisesse ensinar."
Harry Potter: "Como é que ele se sentiu ao ouvir isso, senhor?"
Dumbledore: "Muito contrafeito. Eu tinha alertado Armando contra a contratação, não lhe dei as razões que dei a você, porque o professor Dippet gostava muito de Voldemort e estava convencido de sua sinceridade, mas eu não queria que Lord Voldemort voltasse a esta escola, principalmente em uma posição de poder."
— Dumbledore e Harry Potter sobre a aplicação de Riddle e Dippet.[fnt]
Dippet Riddle

Dippet conversando com Tom Riddle em sua sala.

Quando Tom Riddle voltou a Hogwarts após sua formação para se candidatar para o cargo de professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, após Galatéia Merrythought se aposentar, Dippet o negou a posição por ser muito jovem, mas o convidou a se candidatar novamente em alguns anos, apesar de ser alertado contra isso por Alvo Dumbledore.[13]

Dumbledore percebeu as verdadeiras intenções de Riddle, mas não as incluiu entre as razões para negá-lo o emprego, já que o Prof. Dippet gostava muito dele e acreditava em sua sinceridade.[13]

Aposentadoria Editar

"As testemunhas oculares Leonora Gore e Daphne Maubyslin disseram que o acidente foi causado por um velhinho mirrado chamado Armando Dippet, um habitante local bem conhecido por seus voos erráticos. Ele deve fazer outra prova de voo no próximo mês em seu 355º aniversário. Infelizmente, este acidente ocorreu um mês cedo demais. [...] Recentemente Dippet deixou cair algumas de suas [...] ao olhar [...] que caíram bem em cima de Felickária Tugwood, que por sua vez caiu de sua vassoura [...]'"
Profeta Noturno, 1 de setembro de 1992; Ford Anglia Voador Intriga Trouxas, por Andy Smudgley.[fnt]

O Diretor Dippet se aposentou antes de 1955, deixando o Prof. Dumbledore em sua posição como na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Ele tinha, pelo menos, 318 anos de idade.

Após sua aposentadoria Dippet foi viver em uma localidade não-especificada, e se tornou vizinho de Leonora Gore e Daphne Maubyslin. Ele se tornou conhecido por não voar bem.[2]

Antes ou em agosto de 1992, Dippet bateu em Felicitania Tugwood, que caiu de sua vassoura. Depois naquele ano, ele foi fazer um teste de voo por causa de sua idade avançada em outubro.[2]

Quando Harry Potter e Ronald Weasley foram vistos por trouxas voando em um Ford Anglia encantado, Dippet foi inicialmente acusado por moradores locais e teve sua vassoura confiscada.[2] Contudo, as acusações foram depois consideradas falsas.

Morte e pós-morte Editar

" A Vida e as Mentiras de Alvo Dumbledore – por Rita Skeeter, autora de best-sellers como Armando Dippet: Prócer ou Palerma?."
—Capa do A Vida e as Mentiras de Alvo Dumbledore.[fnt]
Prof Dippet

A Figurinha de Sapo de Chocolate de Dippet.

Dippet morreu entre setembro e dezembro de 1992.[3] Ele aparece em uma Figurinha de Sapos de Chocolate[14] e se sabe de pelo menos uma biografia dele: Armando Dippet: Prócer ou Palerma?, de Rita Skeeter[15] (embora é provável que este trabalho contenha alguma informação difamatória falsa, dado a autora e o título do livro). Sua posição como Diretor de Hogwarts foi preenchida por Alvo Dumbledore.[4]

Um retrato de Dippet foi pendurado na Sala do Diretor,[16] descrevendo-o com estes azul e bronze.[17] Em 1995, ele deu uma bronca no retrato de Fineus Nigellus Black, que estava fingindo cansaço para poder evitar ir ao Largo Grimmauld, nº12 como Dumbledore o pedira. Ele era devotado a servir o diretor que fosse.[18]

Aparência física Editar

UnidentifiedWizardInFurHat

O retrato do Professor Dippet.

O Professor Dippet tinha uma pele pálida, olhos castanhos e, em sua juventude, uma grossa barba castanha.[14]

Em sua velhice, ele se tornou mirrado e frágil. Começou a ficar careca e só tinha uns poucos fiapos de cabelo branco.[4]

Personalidade e traços Editar

Armando Dippet foi leal a Hogwarts e reprimiu Fineus Nigellus por tentar desafiar um pedido de Dumbledore.[18] Como a maioria dos professores ele foi manipulado por Tom Riddle e ficava encantado com sua educação e dedicação aos estudos da magia.[11]

O Professor Dippet não confiava muito, e era muito cuidadoso com quem ele dava informações, como Dumbledore notou que ele era uma das poucas pessoas em quem Dippet confiava.[13]

Capacidades e habilidades mágicas Editar

  • Maestria mágica: Como um diretor de longa data de Hogwarts, não é irracional assumir que Armando Dippet era rico em aprendizado e experiência. Bem como um bruxo muito talentoso em seu próprio direito, mesmo que suas habilidades mágicas tivessem diminuído um pouco devido à sua velhice.
  • Feitiços: A verdadeira extensão das habilidades de Armando Dippet não é conhecida, mas ele era habilidoso em Feitiços, já que ele, como Diretor, era responsável por controlar as proteções mágicas ao redor do Castelo de Hogwarts, e ele era facilmente capaz de levantar e lançar os feitiços defensivos como ele fez logo após o assassinato de Myrtle Warren , levantando temporariamente os Feitiços de Repulsão aos Trouxas para dar a seus pais livre acesso ao terreno da escola.
  • História da Magia: Tendo crescido em uma época anterior ao Expresso de Hogwarts e até mesmo ao próprio Ministério da Magia, é razoável dizer que ele estava bem informado sobre os eventos históricos que aconteceram desde a juventude e até a sua morte, e pode até mesmo esteve presente pessoalmente em alguns deles.
  • Habilidades de liderança: Embora nunca tenha atingido o nível de admiração e reverência de seu sucessor imediato, o professor Dippet era um diretor muito capaz da escola, e lembrado como tal por seu mandato ter sido o tema de seu cartão Chocolate Frog. Em seu tempo como líder da escola, ele era muito rigoroso e talvez um pouco antiquado em questões de disciplina, mas nunca perdeu de vista a importância de manter seus alunos seguros e bem, ou falhou em manter os padrões necessários para administrar a escola. escola de forma eficaz, como mostrado por como ele recusou o pedido de Tom Riddle para se tornar um professor em razão de ele ser muito jovem e inexperiente para o emprego ser prudente, apesar de sua afeição por ele.

Posses Editar

  • Varinha: A varinha do Professor Dippet é de fabricante, comprimento, núcleo e madeira desconhecidos. Provavelmente foi comprada aos onze anos, antes de sua educação mágica, ele tinha posse dela nos anos 1940. Ele a deixou em sua mesa durante a reunião com Tom Riddle em 1943 sobre as férias de verão e as aberturas da Câmara Secreta.[5]
  • Vassoura: Dippet já teve sua vassoura confiscada após alegações de Leonora Gore e Daphne Maubyslin.[2]
  • Escritório do diretor: Quando o Professor Dippet morou na sala na Torre do Diretor, havia apenas uma estante com livros, uma mesa, e várias pinturas, incluindo os retratos de seus antecessores. Suas senhas são desconhecidas, embora possa ser presumido que ele tenha contado uma delas a Tom Riddle em 1943.[4]
  • Plantações de morango e urze: De acordo com Alvo Dumbledore, o Professor Dippet plantou alguns morangos e urzes nos terrenos de Hogwarts quando diretor. Contudo, é provável que Alvo estava simplesmente tentando distrair Cornélio Fudge e Walden Macnair.[19]

Relacionamentos Editar

Tom Riddle Editar

"Eu tinha alertado Armando contra a contratação, não lhe dei as razões que dei a você, porque o professor Dippet gostava muito de Voldemort e estava convencido de sua sinceridade [...]'"
Alvo Dumbledore com Harry Potter.[fnt]
Teen Riddle

Riddle como Dippet o conheceu.

Dippet gostava muito de Tom Riddle, com o qual fez "contatos especiais". Seu relacionamento com ele era forte o suficiente para fazer Dumbledore decidir não contar a Dippet sobre o porquê pensava que Riddle não deveria ganhar um emprego na escola.[13]

Não se sabe como Dippet quando surgiu a Primeira Guerra Bruxa, com Riddle, agora "Lord Voldemort", liderando os Comensais da Morte.

Funcionários de Hogwarts Editar

Dippet and dumbledore

Dippet (direita) junto com Dumbledore (esquerda) olhando enquanto o corpo de Murta é levado do castelo.

O Professor Dippet, aparentemente, não confiava em seus funcionários, confiando apenas em alguns de seus professores, incluindo o professor de Transfiguração, Alvo Dumbledore.[13]

Com diretor, Dippet colocou Silvanus Kettleburn em pelo menos um, mas provavelmente muitos outros, de seus sessenta e dois períodos de provação.

Horácio Slughorn também trabalhou sob a administração de Dippet. Em uma noite, durante uma de suas ceias do Clube do Slugue, Slughorn disse que se o grupo de alunos fossem pegos àquela hora da noite, o Professor Dippet colocaria todos eles em detenção, incluindo ele mesmo.[20]

Etimologia Editar

  • "Armando" significa "da armada". "Dippet" não é uma palavra inglesa, mas "dip" tem muitos significados, incluindo: colocar uma coisa dentro de outra coisa, geralmente um líquido; tirar alguma coisa de outra, como tirar água; abaixar ou levantar alguma coisa; um tolo.

Atrás das cenas Editar

Dippet

O Professor Dippet em Harry Potter e a Câmara Secreta (jogo).

  • Alfred Burke interpretou Dippet em Harry Potter e a Câmara Secreta (filme), na cena da lembrança. Seu rosto pode ser visto por pouco tempo, antes de se virar e começar a falar com vários outros bruxos. Ele também não é careca, em contraste com a descrição do livro.

Aparições Editar

Wiki
A Harry Potter Wiki tem 8 imagens relacionadas a Armando Dippet.

Notas e referênciasEditar

  1. Harry Potter Edição Limitada- As Pinturas de Hogwarts: Conjuntos das Obras Primas da Escola de Magia e Bruxaria - (1637 - 1992) - esta imagem
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5 2,6 2,7 Harry Potter e a Câmara Secreta (filme) - veja esta imagem diz-se que um idoso Armando Dippet nasceu há trezentos e cinquenta e cinco anos antes, em outubro. Isto coloca sua data de nascimento em outubro de 1637.
  3. 3,0 3,1 A primeira aparição de seu retrato no Escritório do Diretor deu-se em maio de 1993. J.K. Rowling no Festival do Livro de Edimburgo (15 de agosto de 2004) afirmou que todos os retratos em Hogwarts são de indivíduos falecidos. Ele, portanto, teria morrido em algum momento antes de maio de 1993.
  4. 4,00 4,01 4,02 4,03 4,04 4,05 4,06 4,07 4,08 4,09 4,10 4,11 4,12 4,13 4,14 Harry Potter e a Câmara Secreta - Capítulo 13 (O Diário Secretíssimo)
  5. 5,0 5,1 Harry Potter e a Câmara Secreta (jogo) - versão GBC
  6. 6,0 6,1 6,2 6,3 6,4 Os Contos de Beedle, o Bardo
  7. Harry Potter e o Enigma do Príncipe - Capítulo 5 (Fleuma Demais)
  8. Harry Potter e o Enigma do Príncipe - Capítulo 17 (Uma Lembrança Relutante)
  9. Escrito por JK Rowling: "Professora McGonagall" no Pottermore
  10. esta imagem Dippet é o único diretor conhecido entre Black e Dumbledore, embora possa haver outros.
  11. 11,0 11,1 11,2 Harry Potter e a Câmara Secreta - Capítulo 17 (O Herdeiro de Sonserina)
  12. Harry Potter e o Cálice de Fogo - Capítulo 25 (O Ovo e o Olho)
  13. 13,0 13,1 13,2 13,3 13,4 Harry Potter e o enigma do Príncipe - Capítulo 20 (O Pedido de Lord Voldemort)
  14. 14,0 14,1 Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (jogo)
  15. Harry Potter e as Relíquias da Morte - Capítulo 13 (A Comissão de Registro dos Nascidos-Trouxas)
  16. Harry Potter e a Ordem da Fênix - Capítulo 37 (A Profecia Perdida)
  17. Harry Potter e a Câmara Secreta (filme)
  18. 18,0 18,1 Harry Potter e a Ordem da Fênix - Capítulo 22 (O Hospital St. Mungus para Doenças e Acidentes Mágicos)
  19. 19,0 19,1 Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban (filme)
  20. Harry Potter e o enigma do Príncipe (filme)


Predefinição:Torres de Hogwartspt-br:Armando Dippet

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.