Pouco depois da tomada do Ministério da Magia pelo Comensais da Morte, eles realizaram uma batida no Expresso de Hogwarts para capturar Harry Potter. Três Comensais da Morte pararam o trem enquanto viajava para o Castelo de Hogwarts, na Escócia, em 1º de setembro de 1997, mas não encontraram nada além de outros estudantes de Hogwarts, como Harry Potter, Ronald Weasley e Hermione Granger. Largo Grimmauld.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Remo Lupin: "Ele [Voldemort] é de fato o ministro da Magia, então, para que iria se sentar atrás de uma mesa no Ministério? Seu fantoche, Thicknesse, está cuidando da burocracia diária, deixando Voldemort livre para estender sua influência para além do Ministério. Naturalmente muitas pessoas deduziram o que aconteceu: nos últimos dias houve uma acentuada mudança na diretriz ministerial, e muitos estão murmurando que Voldemort deve estar por trás disso. Contudo, aí reside o problema: murmuram apenas. Não ousam trocar confidências, não sabem em quem confiar; têm medo de se manifestar, porque suas suspeitas podem se confirmar e suas famílias serem atingidas. Sim, Voldemort está fazendo um jogo inteligente. Expor-se poderia ter provocado uma rebelião aberta: nos bastidores, criou confusão, incerteza e medo."
Harry Potter: "E essa mudança acentuada na diretriz ministerial inclui alertar o mundo bruxo contra mim e não contra Voldemort?"
Remo Lupin e Harry Potter enquanto o último estava escondido no Largo Grimmauld, nº 12[fnt]

O ataque[editar | editar código-fonte]

Aparições[editar | editar código-fonte]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]


O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.