FANDOM


"William apelidou a sua filha de "Morrigan" quando ainda ela era uma criança, pela sua afinidade com todas as coisas da natureza."
—Isolt gostava da natureza[fnt]

Isolt Steward (nascida Sayre) nasceu em 1603, foi uma bruxa Puro-sangue Irlandesa. Ela é filha de William e Rionach Sayre. Quando ela era apenas uma menina, seus pais foram assassinados em um incêndio na casa por sua tia preconceituosa Gormlaith Gaunt.

Isolt passaria os próximos doze anos com sua cruel tia, até que ela escapasse para o Novo Mundo. Enquanto no Novo Mundo, ela fez amizade com um Pukwudgie e acabou se tornando a esposa de James Steward. Ela e seu marido foram os fundadores da Escola de Magia e Bruxaria Ilvermorny. Isolt teve quatro filhos na época de sua morte e um legado duradouro.

Biografia Editar

Linhagem familiar Editar

"Ela descendia de duas famílias bruxas puro-sangue."
—Linhagem familiar de Isolt[fnt]
A Mãe de Isolt Sayre, Rionach Sayre, nasceu na Casa Gaunt, uma família puro-sangue que é descendente direta de Salazar Sonserina, um dos quatro fundadores da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Rionach, no entanto, se separou de sua família e rejeitou a crença deles em relação a superioridade puro-sangue e escolheu ajudar trouxas que precisassem de sua ajuda.[1]

O Pai de Isolt, William Sayre, era descendente direto da famosa bruxa Irlandesa Morrigan, uma animaga que podia tomar a forma de um corvo.[1]

Juventude Editar

"... infância foi idílica, com pais que a amavam e ajudavam discretamente os vizinhos trouxas, produzindo curas mágicas tanto para humanos, quanto para animais."
—Vida de Isolt antes da morte de seus pais[fnt]
Isolt Sayre nasceu por volta do ano de 1603. Seu pai a apelidou de "Morrigan", uma ancestral sua, que tinha as mesmas afinidades que Isolt, um amor com relação a tudo da natureza. Ela cresceu no Vale de Coomloughra, Condado de Kerry na Irlanda, Isolt teve uma ótima infância, muito amada por seus pais e convivia com uma comunidade de trouxas, para quem seus pais produziam secretamente curas mágicas.[1]
Chalé Sayre em chamas

A cabana Sayre é incendiada.

Infelizmente, por volta do ano de 1608 quando Isolt tinha apenas 5 anos de idade, a casa de campo da família foi atacada e incendiada. Nesse incidente, os pais de isolt morreram trágicamente; Sayre foi resgatada da casa em chamas pela irmã estranha de sua mãe, Gormlaith Gaunt. Gaunt levou Sayre para um vale vizinho chamado Coomcallee, onde Gormlaith a criou , usando magia negra para forçar a sua cooperação e o seu isolamento.

Gormlaith Gaunt leva Isolt Sayre

Gaunt acabou se provando uma guardiã instável e cruel. Ela era uma supremacista puro-sangue, acreditava que a bondade de sua irmã ajudando trouxas poderia levar Isolt para um "caminho perigoso", algo que ela não podia aceitar, que era se casar com um trouxa. Quando Isolt foi se tornando mais velha, percebeu que a sua tia a sequestrou e botou fogo onde a família morava, e consequentemente causando a morte de seus pais. Gaunt fazia Sayre á assistir em enquanto ela lançava maldições ou szarações em qualquer trouxa ou animal que chegassem muito perto de sua casa. A Vila aprendeu a manter distância da casa de campo da Gaunt, e o único contato que Isolt tinha com qualquer um alem de sua tia, eram com alguns meninos da vila, que jogavam pedras nela enquanto esta brincava no jardim.[1]

Quando Sayre fez onze anos, por volta de 1614, a sua Carta de Hogwarts chegou. Mas, sua tia se recusou a permitir que ela fosse, ou que obtivesse uma varinha, acreditando que ela mesma poderia ensinar magia e que assim seria melhor do que arriscar enviando-a um "estabelecimento perigosamente igualitário, repleto de sangues-ruins." Gaunt estudou em Hogwarts, e disse várias coisas a sayre sobre ela, mas grande parte, era denegrindo a imagem da escola, lamentando que os planos de Salazar Sonserina para a pureza dos bruxos não pode ser aplicada na escola. Isso levou Sayre, que foi isolada e maltratada por sua tia durante anos, a acreditar que Hogwarts poderia ser algum tipo de paraíso, ela gastava muito de seu tempo na adolescência imaginando como seria estudar em Hogwarts.[1]

Fuga para o Novo Mundo Editar

"Determinada a esconder-se de tal modo que sua mãe adotiva jamais a encontrasse, Isolt cortou os cabelos e, disfarçada de menino trouxa chamado Elias Story, zarpou para o Novo Mundo no Mayflower em julho de 1620."
—Isolt foge de sua tia e parte para uma nova jornada no Novo Mundo[fnt]
Isolt a bordo do Mayflower

Isolt Sayre a bordo do Mayflower sob o disfarce de "Elias Story" em 1620.

Eventualmente, após doze anos com Gormlaith, Sayre finalmente tomou coragem para escapar, assim como conseguiu aprender o suficiente sobre magia, para poder escapar. Ela roubou a varinha de sua tia, e deixou a casa de campo e fugiu em direção ao país. O único objeto que ela levou consigo foi um broche de ouro no formato de nó górdio que pertenceu a sua mãe. Temendo a prodigiosa habilidade de rastreamento de sua tia e a sua punição que viria logo a seguir, Sayre fugiu para a Inglaterra, mas logo a sua tia estava em seu encalço. Determinada a se esconder se tia cruel, ela cortou o seu cabelo e, por cinco anos, fingiu ser um garoto trouxa, com o nome de "Elias Story" (um anagrama de "Isolt Sayre"). Ela então entrou a bordo do Mayflower em 1620 e viajou para a América do Norte.[1]

Sayre chegou na américa como um dos mais jovens colonos europeus, a maioria deles trouxas. Logo após chegar, Sayre saiu e foi em direção as montanhas que rodeavam o Assentamento Plymouth, deixando os colonos europeus presumissem que "Elias Story" sucumbiu ao rigoroso inverno, assim como tantos outros. Sayre decidiu ir embora, pois estava com medo de que sua tia ainda pudesse estar rastreando ela, mesmo em um novo continente. A outra razão era que sua viagem a bordo do Mayflower levou-a à conclusão de que os puritanos provavelmente não a aceitariam, já que era uma bruxa.[1]

Após muitas semanas vivendo sozinha nas montanhas completamente isolada, Sayre cruzou com um Esconde-Esconde prestes a matar um Pukwudgie. Ela lançou uma maldição, o que fez com que o Esconde-esconde fugir. Ela não sabia que os Pukwudgie eram perigosos para os seres humanos, memso assim, Sayre o levou para a sua cabana e cuidou dele, até que este estivesse novamente saudável. O Pukwudgie declarou que estaria em dívida com ela, e a serviria, até que pudesse surgir alguma oportunidade para retribuir a dívida, e que estava muito humilhado em estar em dívida com uma tola e jovem garota. Apesar da ingratidão do Pukwudgie ela o achou engraçado e estava feliz em tê-lo como compania. Após algum tempo, uma amizade foi formada entre os dois. Rigoroso nas crença de sua espécie, o Pukwudgie se recusou a dizer o seu verdadeiro nome para Isolt, então ela o apelidou de William" em homenagem a seu pai.[1]

Aventuras com William Editar

"O pukwudgie declarou, então, que se sentia obrigado a servi-la até ter a oportunidade de pagar sua dívida."
—Isolt salvou a vida de um Pukwudgie, a quem ela nomeia William[fnt]
Isolt resgata os irmãos Boots

Isolt resgata Chadwick e Webster Boot de um Esconde-Esconde

Novos amigos Editar

"Ela [Isolt] jurava a si mesma usar o Obliviate em James todos os dias e, todos os dias, o medo que ele sentia da magia diminuía um pouco; até que, no final das contas, foi mais fácil admitirem que estavam apaixonados, casarem e pronto."
—Isolt se apaixona por James Steward[fnt]
Os garotos que Isolt e William resgataram sobreviveram ao ataque e, para seu deleite e espanto, eram bruxos. No entanto, Chadwick e Webster ficaram tão doentes pelas próximas semanas que Isolt dificilmente os deixou sozinhos. Ela estava preocupada com o fato de que, em sua pressa para resgatar os meninos, ela tinha sido incapaz de dar aos seus pais um enterro, então quando os meninos estavam bem o suficiente para ficarem sozinhos por algumas horas, ela voltou para a floresta com o intenção de marcar sepulturas para seus pais. Para sua surpresa, ela encontrou alguém lá. Enquanto observava, o homem, James Steward, terminou de marcar as sepulturas que pretendia fazer a si mesma e pegou as duas varinhas quebradas colocadas ao lado dos cadáveres. Ela viu quando ele examinou o coração de dragão que se projetava da varinha que pertencia ao pai dos meninos e acenou. A varinha bateu James para trás e ele bateu em uma árvore e ficou inconsciente.[1]
Isolt e James

Isolt levou o homem inconsciente de volta ao seu abrigo, onde ele finalmente acordou. Isolt foi incapaz de esconder sua magia de James, especialmente no espaço confinado de seu abrigo e preparando poções para ajudar os meninos a se recuperarem. Ela pretendia obliviar James assim que ele se recuperasse de sua concussão, mas até então ela considerava legal poder falar com um adulto, quanto mais um familiarizado com os meninos da Bota e ele ajudava a entretê-los enquanto eles se curavam. James também ajudou a Isolt a construir uma casa de pedra no topo do Monte Greylock, fornecendo um design viável, e a Isolt magicamente construiu dentro de uma tarde. Isolt nomeou a nova casa "Ilvermorny" em homenagem a casa de seus pais, que sua tia destruiu. Todos os dias, Isolt prometeu obliviar James, enquanto o medo da magia de James diminuía, e eles eventualmente admitiram que estavam apaixonados um pelo outro, e se casaram.[1]

Fundação de Ilvermorny Editar

"Em vez disso, prometeu que arranjaria varinhas (as dos pais deles não tinham conserto) e que eles teriam uma escola de magia bem ali na cabana, assim que completassem onze anos"
—Início da Escola de Magia e Bruxaria Ilvermorny[fnt]
Isolt e James e consideraram os garotos do Boot como seus filhos adotivos. Isolt contou-lhes histórias revisadas de Hogwarts, para onde os garotos ansiavam ir, e freqüentemente perguntavam se poderiam retornar à Europa , onde poderiam receber suas cartas. Isolt, não querendo assustá-los, não contou a eles sobre Gormlaith Gaunt, e em vez disso prometeu dar-lhes varinhas e abrir uma escola mágica em sua casa de pedra. A família discutiu o que eles deveriam nomear as quatro casas depois, e em vez dos fundadores de Hogwarts, eles batizaram o nome de animais mágicos próximos: por Chadwick, o Pássaro-Trovão; para Webster, Pumaruna; para James, (depois de algum debate) o Pukwudgie ; e para Isolt, a Serpente Chifruda que ela ainda visitava.[1]

Décimo primeiro aniversário de Chadwick Editar

Ilvermorny é construída

James e Isolt constroem a escola de Ilvermorny.

Naquela época, o décimo primeiro aniversário de Chadwick estava perto e Isolt não tinha ideia de como lhe dar a varinha que ela lhe prometera, pois achava que a varinha de sua tia que ela roubara era a única na América. Na véspera de seu aniversário, Isolt teve um sonho em que foi ao riacho da Serpente Chifruda, que se levantou e curvou a cabeça, e Isolt raspou um longo fragmento de seu chifre. Ela acordou e caminhou até o riacho. A serpente esperava por ela, e levantou a cabeça como fazia em seu sonho, e Isolt raspou parte de seu chifre, agradeceu e voltou para seu chalé. Ela acordou James, que tinha habilidade na elaboração e escultura em pedra. Eles acabaram por criar uma varinha de poder "excepcional".[1]

Fama crescente Editar

Quando Webster completou onze anos, a reputação da escola mágica se espalhou. Dois meninos da tribo Wampanoag e uma mãe e suas duas filhas da tribo Narragansett chegaram um dia, e receberam varinhas de James e Isolt de suas criações. Isolt tinha um instinto protetor para salvar os núcleos de varinha com chifre de serpente chifruda apenas para seus dois filhos adotivos e ela e James aprenderam a usar uma variedade de outros núcleos, incluindo pelo de pumaruna, corda de coração de snallygaster e galhada de lebrílope.

Em 1634, a escola cresceu bastante. Cada casa se expandiu a cada ano. Eventualmente, Isolt e James tiveram filhos, duas filhas que chamaram Rionach e Martha em homenagem a suas respectivas mães.[1]

A vingança de Gormlaith Editar

"... a família feliz e ocupada não fazia ideia de que um grave perigo viria de longe."
—Gormlaith trama sua vingança contra Isolt[fnt]
Gormlaith Gaunt lança uma maldição

Gormlaith Gaunt lança maldições em Chadwick Boot.

A família Steward não fazia ideia de que a palavra de Ilvermorny havia chegado a Gormlaith Gaunt, a tia de Isolt da qual ela havia escapado anos antes. Quando ela soube disso, ela se dirigiu para a América. Gormlaith prometeu matar Isolt e James, destruir o prédio da escola e sequestrar suas filhas. Assim que ela viu a casa, ela lançou uma maldição sobre o casal, colocando-os em um sono encantado. Devido ao núcleo de chifre de serpente chifruda, as varinhas acordaram os irmãos Boot e Chadwick, tendo avistado Gormlaith do lado de fora, enviou Webster para despertar James e Isolt. Isso não teve sucesso devido à poderosa maldição, então ele saiu para ajudar o duelo de Chadwick e Gormlaith. Essa era a única opção, já que eles eram os únicos acordados.

Varinha de Isolt

Isolt se prepara para duelar com Gormlaith em defesa de sua família.

Devido à comoção, Martha e Rionach foram acordadas e, devido ao poder do amor, seus gritos romperam o encantamento imposto a Isolt e James. Isolt acordou com o barulho ao seu redor e gritou para que James pegasse suas filhas, enquanto ela corria para fora para ajudar seus filhos a duelar com Gormlaith. Uma vez que ela levantou a varinha roubada para atacar, isso não aconteceu, pois Gormlaith havia ativado um feitiço oculto que a desativara. Uma Gormlaith exultante perseguiu e levou os três de volta até as escadas, para o quarto onde ela podia ouvir o choro.[1]

Isolt seguiu Gormlaith até a sala onde James e suas filhas estavam. Certa de que "tudo estava perdido", Isolt, mal pensando, gritou o nome do pai. Houve um barulho quando Isolt viu William, o Pukwudgie, aparecer e uma flecha envenenada perfurou Gormlaith no coração, matando-a. A família expressou sua extrema gratidão. No entanto, William ficou chateado porque levou dez anos para Isolt dizer seu nome novamente. Isolt escolheu não mencionar que ela estava realmente chamando pelo falecido pai. William mais tarde se mudou e sua família para Ilvermorny.[1]

Vida posterior e morte Editar

"Isolt e James viveram para além dos cem anos. Viram a cabana de Ilvermorny se transformar em um castelo de granito e morreram cientes de terem uma escola tão famosa que as famílias mágicas de toda a América do Norte imploravam para educar seus filhos lá."
[fnt]
Ilvermorny 01

Ilvermorny como um grande castelo.

Isolt foi incapaz de falar em parseltongue para desfazer o feitiço da varinha para reativá-lo, então ela e James o enterraram no terreno da escola. Ela não queria manter a varinha, de qualquer maneira, pois era a última lembrança de sua infância infeliz. Dentro de um ano, uma árvore snakewood cresceu a partir do solo onde foi enterrado. Qualquer tentativa de matá-lo ou podá-lo não teve sucesso, e foi mantido depois que se descobriu que a árvore continha poderosas propriedades medicinais.

Como a reputação de Ilvermorny cresceu firmemente ao longo dos anos seguintes, Isolt e James permaneceram juntos como diretor e diretora. A população estudantil da escola crescia a cada ano e, por sua vez, mais professores eram contratados, e a casa de granito se expandia para um castelo onde Isolt e James faziam as vestes de azul e cranberry de Ilvermorny. Isolt escolheu a cor azul como era sua cor favorita e desejou estar na Corvinal quando criança. Ela também fez as vestes dos estudantes fixadas por um nó górdio de ouro, em memória do broche que ela encontrou nas ruínas da cabana original de Ilvermorny.

Legado Editar

"Como era de se esperar de uma escola parcialmente fundada por um não-maj, Ilvermorny tem a reputação de ser uma das mais democráticas e menos elitistas de todas as grandes escolas de magia."
—O legado de Isolt, James e Ilvermorny hoje[fnt]
Após sua morte, Isolt tornou-se muito conhecida como fundadora de uma dos mais democráticos e menos elitistas de todas as grandes escolas de bruxaria. Uma estátua de mármore foi feita dela para flanquear as portas da frente do Castelo de Ilvermorny e permanece lá até hoje. A pukwudgie que atende pelo nome de William, que pode ser sua velha amiga, é muito protetora de sua estátua e ainda visita seu túmulo todos os anos para deitar flores. Acredita-se também que as quatro casas de Ilvermorny representam a bruxa ou bruxo que lhes pertencem, o que significa que Isolt deu uma qualidade à casa da Serpente Chifruda.[1]

Personalidade e traços Editar

A Isolt foi apontada como próxima da natureza, com um talento e paixão pelo exterior e pelo mundo natural. Apesar de sua educação dura por sua tia torcida, Isolt possuía uma poderosa capacidade de amar. Sua capacidade de amar de forma tão pura e incondicional que levou à eventual criação de sua escola. Isolt era uma esposa amorosa com seu marido Não-Maj, James e uma mãe carinhosa com todos os seus quatro filhos, ambos adotados e biológicos. Ela também era uma amiga leal do Pukwudgie William que, por sua vez, salvou a vida dela e de sua família. Isolt também não se importava com o fanatismo de sangue puro de sua tia e de seus ancestrais.

A Isolt possuía uma tremenda paixão pelo aprendizado e, juntos, ela e o marido presidiam a escola. Juntos, eles ajudaram a estruturar e expandir o conhecimento da magia na América do Norte e combinaram o conhecimento do continente com o da feitiçaria européia para criar algo novo, belo e poderoso. Essa paixão pela aprendizagem e educação da Isolt foi passada para sua casa patronal em Ilvermorny, a Serpente Chifruda, a casa dos eruditos.

Capacidades e habilidades mágicas Editar

Isolt provou ser uma bruxa poderosa e talentosa, apesar de sua falta de educação em Hogwarts.

  • Artes das Trevas: Isolt aprendeu as Artes das Trevas de sua tia, e acabou por ser hábil o suficiente para fazê-la escapar.
  • Varinhologia: Isolt foi capaz de fazer varinhas para seus filhos adotivos e os outros alunos de Ilvermorny. Apesar de sua falta de um treinamento adequado em, foi provado que ela ainda possuía um alto nível de habilidade inata neste campo de magia, pois foi mencionado que as varinhas eram "finamente esculpidas" e "de poder excepcional" .
  • Poções: Isolt foi capaz de preparar poções para curar os meninos Boot, o que prova que ela era habilidosa em Poções.
  • Feitiços: Isolt originalmente pretendia limpar as memórias de James de ela ser uma bruxa, o que prova que ela era habilidosa em Feitiços.
  • Aparatação: Isolt foi capaz de aparatar à vontade.
  • Habilidades de Ensino: dado como Gormlaith (uma bruxa das trevas extremamente poderosa) admitiu que Chadwick tinha sido bem ensinado, isso prova que Isolt era uma professora habilidosa.

Posses Editar

Etimologia Editar

  • O Isolt é uma variante do nome Isolda , cujas origens são incertas, embora algumas raízes celtas tenham sido sugeridas. É possível que o nome seja finalmente germânico, talvez a partir de um nome hipotético como Ishild. Na lenda medieval arturiana, Isolda era uma princesa irlandesa prometida ao rei Marcos da Cornualha. Depois de acidentalmente beber uma poção de amor, ela se tornou amante de seu cavaleiro Tristão, o que levou a sua trágica morte.
  • Sayre é um derivado do nome pessoal pré-medieval Saher ou Seir, que em si é uma forma abreviada do nome normando Sigiheri introduzido na Inglaterra após a conquista de 1066, e que pode ser traduzido como "vitória, exército". Também pode ser originado do nome ocupacional medieval de um cortador de madeira, embora o sobrenome usual seja agora Sawyer.

Por trás das cenas Editar

Na história da vida real, o Mayflower carregou uma "Elias Story" em sua viagem de 1620. Além do fato de que ele veio aos cuidados da família Winslow e que ele morreu no primeiro inverno em Plymouth, pouco mais se sabe sobre a história histórica de Elias. O fato de ele não assinar o Pacto do Mayflower sugere que ele provavelmente tinha menos de 18 anos ou 21 anos.

Aparições Editar

Notas e referências Editar

  1. 1,00 1,01 1,02 1,03 1,04 1,05 1,06 1,07 1,08 1,09 1,10 1,11 1,12 1,13 1,14 1,15 1,16 1,17 Escrita por JK Rowling: "Escola de Magia e Bruxaria Ilvermorny" no Pottermore
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.